Processo de Avaliação pelos Pares

O Processo de Avaliação por Pares e às cegas é o implementado na RDP-PGM Londrina. Para assegurar a integridade da avaliação por pares às cegas, os autores, bem como os revisores, devem tomar todos os cuidados possíveis para não revelar suas identidades no processo de avaliação. Isto exige que autores, editores e avaliadores (passíveis de enviar documentos para o sistema, como parte do processo de avaliação) tomem algumas precauções com o texto e as propriedades do documento:

a) os autores do documento devem excluir do texto seus nomes, podendo substituir por "Autor";

b) referências a publicações dos autores no corpo do texto ou em nota de rodapé devem preservar a impessoalidade;

c) nos arquivos contendo os textos, a identificação do autor deve ser removida das propriedades do documento, bem como outras informações de caráter pessoal.

d) os editores de seção se resguardam da prerrogativa de alterar os arquivos para preservação da avaliação cega.

Nos termos do método em foco, cada artigo apresentado à revista para publicação, será avaliado no mínimo por dois avaliadores "ad hoc", com base nos quais o editor de seção o aceitará, rejeitará ou solicitará alterações. No caso de pareceres conflitantes, o editor de seção encaminhará a um terceiro avaliador, que deverá dirimir as dúvidas sobre a propriedade ou impropriedade da publicação do artigo, tendo em conta tão somente a sua qualidade acadêmica.

Esclarecemos que a avaliação pelos pares é aplicada nas seções de "artigos" e de "análise de jurisprudência", não sendo aplicada à seção de "pareceres", que tem por intuito a divulgação de pareceres selecionados de autoria de Procuradores do Município de Londrina.